Pesquisadores testam aplicação de mobile crowdsensing para mapear acessibilidade urbana em Florianópolis.

ícones universais para cadeirante, surdo, cego e mobilidade reduzidaO estudo foi publicado na Revista de Administração Contemporânea pelos pesquisadores Carlos Augusto Alperstedt Neto, Carlos Roberto De Rolt e Graziela Dias Alperstedt.

O crescimento populacional resultante do processo de urbanização sem o devido planejamento gerou uma série de problemas sociais nas cidades, tais como acesso à moradia, violência, desemprego e exclusão social. Neste contexto, questões ligadas à acessibilidade surgem de forma proeminente, principalmente considerando o aumento da conscientização das pessoas pela igualdade de direitos.

Entretanto, o uso da tecnologia permite uma revisão deste problema ajudando não somente as questões relativas à acessibilidade, mas, sobretudo, no sentido de tornar as cidades mais humanas e inteligentes.

A partir deste contexto, este trabalho objetivou a construção de um artefato tecnológico com vistas a mitigar o problema e propagar informações acerca da acessibilidade. Para isso, foram buscados fundamentos nos conceitos de crowdsensing e cidades inteligentes, utilizando a design research como método. As técnicas de coleta de dados abrangeram questionários fechados, entrevistas e dados iconográficos.

O resultado foi a apresentação de um aplicativo que pode ser acessado em um computador ou smartphone, de forma ativa ou passiva.

Ficha técnica
Publicado em: Revista de Administração Contemporânea
Páginas: 291-310
Data da Publicação: 2018
ISSN 1415-6555
DOI: 10.1590/1982-7849rac2018170295

0 Compart.
Faça um comentário

* Por favor, preencha os campos corretamente.